Category Archives: Uncategorized

The Benefits of Fracking

MUST SEE: The Daily Show with Jon Stewart covers fracking with a special piece from Assif Mandvi exposing widespread water contamination, health impacts and gas industry lies in Pennsylvania.

Share widely: http://thedailyshow.cc.com/videos/w5j292/the-benefits-of-fracking

Advertisements

Impactos ambientais das actividades de extracção de gás de xisto e de óleo de xisto

Intervenção de João Ferreira no Parlamento Europeu

http://www.pcp.pt/impactos-ambientais-das-actividades-de-extrac%C3%A7%C3%A3o-de-g%C3%A1s-de-xisto-e-de-%C3%B3leo-de-xisto

Recomenda-nos o mais elementar bom senso que, no mínimo e desde já, se imponha uma moratória na exploração de jazidas de gás e petróleo de xisto.

Os impactos ambientais associados à exploração destas jazidas são significativos e muito negativos. A fracturação hidráulica, a injecção de químicos poluentes, eventualmente tóxicos, nos maciços rochosos acarretam necessariamente uma enorme instabilidade desses maciços e a degradação de recursos hídricos subterrâneos ou dos cursos de água drenantes dos maciços xistentos.

Só estes impactos seriam motivo para banir a exploração destes recursos. No mínimo, fiquemos pela moratória.

Além do mais, não está comprovado que seja positivo o retorno da quantidade de energia consumida em tão extensivo e intensivo método de extracção.

Seria interessante conhecer, se é que existem, os resultados de uma avaliação do retorno de energia por energia investida (uma avaliação EROI – Energy Return on Invested Energy) sobre o ciclo de vida de cada um destes empreendimentos, de forma a verificar o seu balanço económico.

“Os Verdes” querem moratória à exploração de gás de xisto

Comunicado de 11/10/2013

“Os Verdes” querem moratória à exploração de gás de xisto

O Partido Ecologista “Os Verdes” entregou na Assembleia da República um Projeto de Lei que visa adotar, em Portugal, uma moratória à exploração de gás de xisto, sustentada no princípio da precaução, com vista à salvaguarda da saúde pública e da preservação ambiental.

A extração de gás de xisto tem pesados impactos sobre o ambiente e sobre a saúde pública e a gravidade desses impactos tem sido bem demonstrada pela prática. Conhecem-se já exemplos, decorrentes desta exploração, de danos ambientais irreversíveis, designadamente nos EUA, no Brasil ou em Inglaterra, com forte contaminação de massas de água potável, com claro prejuízo direto para as populações e para a atividade agrícola, com destruição de ecossistemas relevantes ou com abalos sísmicos diretamente resultantes dessa exploração de gás. O PEV relembra que, em Portugal, a prospeção de gás de xisto foi já autorizada pelo Governo na região Oeste.

Face à incerteza e controvérsia científica que envolve a exploração de gás de xisto, e ainda aos reais impactos gravíssimos, já constatados, sobre o Planeta e sobre aqueles que nele habitam, “Os Verdes” consideram que é imperioso aplicar, nesta matéria, o princípio da precaução e propõem, com esta iniciativa legislativa, a introdução de uma moratória à exploração de gás de xisto em Portugal, um Projeto de Lei que será discutido no Parlamento em data a anunciar.

Ver Texto do Projeto

 

Comunicado – Assembleia Municipal

MOVIMENTO ANTI-EXTRACÇÃO GÁS DE XISTO, BARREIRO

COMUNICADO

Na sequência do anúncio de que o governo concedeu a exploração de gás e petróleo na Margem Sul do Tejo (até 2021) à empresa canadiana Oracle Energy Corporation, tendo sido o Barreiro indicado como um dos locais para o início da prospecção. Dada a controvérsia que envolve a técnica de extracção do gás de xisto (“fractura hidráulica” ou “fracking”) pelo alto risco de contaminação química dos aquíferos e solos e o risco de afectação da estrutura geológica; estivemos presentes na sessão da Assembleia Municipal do Barreiro realizada no passado dia 28 de Fevereiro, onde questionámos o executivo sobre as informações que dispõe e o que pensa sobre este processo.

O Sr. Presidente da C.M.B. afirmou desconhecer a técnica da fractura hidráulica/fracking e que a informação que recebeu do Ministério da Economia se resumiu à assinatura do contrato de concessão.

Face à perigosidade que esta técnica envolve é nossa convicção que a Câmara Municipal do Barreiro e também os representantes e estruturas partidárias locais não poderão deixar de se informar e actuar em conformidade com a defesa do recurso insubstituível que é a água, os solos, a saúde e segurança das populações.

Em 15 de Março de 2014

Movimento Anti-Extracção Gás de Xisto, Barreiro